PROJETO METE MÃO | FEIRA DE SAÚDE

No dia 14 de dezembro de 2018, o grupo PET IHAC se dirigiu à comunidade do Alto de Ondina para a realização da última oficina planejada – A Feira de Saúde -, bem como para a efetuação da festa de encerramento. Estavam presentes os bolsistas Andréia, Amanda, Alana, Edenice, Nathalie, Tauan, Marcelo, Suenny, Tamera, Rebeca e Mayara. A princípio os bolsistas organizaram o espaço, colocaram uma música ambiente e recepcionaram as crianças que aos poucos iam chegando. A feira consistiu em duas atividades que ocorreram simultaneamente: uma oficina sobre alimentação saudável e a verificação da pressão arterial. Vale ressaltar que em ambas atividades priorizou-se a troca e compartilhamento de saberes, nunca impondo o que nós consideramos o
correto, pois não existe o errado. Todos nós já tivemos experiências na vida, portanto sabemos de algo e podemos contribuir com a construção do saber naquele momento. Somos seres inacabados e em construção, assim necessitamos estar abertos para ensinar e aprender com o outro, abrindo possibilidades e ângulos diferentes de enxergar uma determinada coisa.

A oficina de alimentação saudável foi ministrada pelas estudantes de nutrição da UFBA Renata e Carla. Elas realizaram várias atividades com frutas diversas como, por exemplo, vendaram as crianças e pediam que elas adivinhassem qual era a fruta apenas pelo olfato e tato; ensinaram sobre a pirâmide alimentar e construíram uma junto com as crianças por meio de uma cartolina e imagens recortadas de revistas e jornais; fizeram perguntas sobre os hábitos alimentares delas e as fizeram refletir a importância de se ter no dia a dia alimentos mais saudáveis e, por fim, pediram que cada um dissesse em uma palavra ou frase o que acharam dessas atividades e como influenciará na sua vida.

 

Já a segunda atividade, a verificação da pressão arterial, foi ministrada pelo estudante de medicina da UFBA Bruno Oliveira. Como as crianças estavam mais entretidas com a parte lúdica feita pelas meninas de nutrição e o instrumento não era adequado para crianças, essa atividade teve como o público alvo os adultos e idosos da comunidade. Dessa forma, as bolsitas Andréia e Nathalie foram de casa em casa convidando as pessoas para realizarem essa aferição por ser tão importante estar consciente de seu processo saúde-doença e por ser algo que está próximo deles e, portanto, eles deveriam aproveitar. Cerca de seis mulheres adultas, duas mulheres idosas e um homem idoso participaram da nossa atividade e ficaram muito satisfeitos com o acolhimento e com o diálogo que estabeleceram com estudante que os atenderam.

 

 

Por fim, foi feito um lanche coletivo para comemorar o fim desse magnífico projeto que nós criamos, abraçamos, levamos para casa e nos esforçamos muito para que tudo ocorresse bem. De forma geral, nossos objetivos foram alcançados com sucesso, pois conseguimos favorecer a construção de subjetividades de crianças e adolescentes da comunidade do Alto de Ondina por meio do reconhecimento de saberes populares e da apropriação da bagagem cultural inerente da comunidade, despertando o saber pelas crianças/adolescentes através da ludicidade e criatividade, estimulando a afirmação identitária, a inteligência social e a memória  afetiva. Foi um projeto do início ao fim trabalhoso, porém de um valor e riqueza inestimados e cada um dos envolvidos no seu desenvolvimento levará para vida aprendizagens que nenhuma aula ou artigo poderia fornecer.

Escreva um comentário