PROJETO METE MÃO | OFICINA DE CARTONERA

Iniciamos a atividade, efetivamente, por volta das 15 horas da tarde. Na intenção de estabelecermos uma aproximação com as crianças, colocamos elas em uma espécie de semicírculo e resolvemos identificá-las através da exposição de seus nomes, idades e de seus ídolos favoritos.

Durante toda a oficina, houveram dificuldades com duas crianças onde identificamos uma agitação em seus corpos e uma ausência de cordialidade para com seus outros colegas e para nós, petianos. Tive a impressão de que tais meninos têm uma certa dificuldade de valorizar as figuras que, teoricamente, responsáveis por eles. Mais tarde soubemos pelo professor Ciba, que esses meninos são vítimas de um ambiente hostil. Residem em uma casa, cujo tamanho não ultrapassa a metade da sala do PET, não possuem uma figura paterna e nem uma figura materna presentes. São criados às suas próprias sortes. Fatos que justificam as suas inquietações.

Apesar de alguns contratempos, a exemplo, da saída de algumas crianças em virtude do destempero de uma mãe que, aborrecida, veio indagar a elas o motivo delas estarem ali, sem que elas (as crianças) a avisassem,  a oficina aconteceu de maneira gratificante.
As crianças, em sua maioria de 10 anos, construíram suas cartoneras com excelência, entusiasmo e capricho. Desenharam e pintaram com cuidado e com a alegria de estarem produzindo algo que era delas e, o melhor, feito por elas.

Saímos cansados, muito cansados, arrisco a dizer que exaustos, porém, com o sentimento de dever cumprido.

 

Escreva um comentário