PET IHAC CONVIDA: RICARDO LUSTOSA – RISCO PERCEBIDO E OBJETIVO À LEPTOSPIROSE E INTERVENÇÕES INTEGRADAS

No dia 20 de Setembro aconteceu  mais um PET IHAC CONVIDA, dessa vez, com a presença do pesquisador e pós-doutorando Ricardo Lustosa, que apresentou  sua pesquisa em saúde de base comunitária: “Risco Percebido e Objetivo à Leptospirose e Intervenções Integradas”. 

A pesquisa tem objetivo de analisar a manifestação da leptospirose –  doença infecciosa causada pela bactérica leptospira e  transmitida aos seres humanos através da urina de animais infectados, sendo o rato o principal deles – na região dos bairros de Marechal Rondon, Alto do Cabrito e Rio Sena, bairros periféricos localizados próximos ao subúrbio de Salvador. A atividade conta também com a presença ativa de jovens moradores da comunidade de Marechal Rondon, que integram a equipe de pesquisadores e o Projeto Jovens Inovadores, financiado pelo Instituto Bill and Melinda Gates.

 

 

Sobre o convidado

Ricardo Lustosa Brito atua (2019 – ) como pós-doutorando do Instituo de Saúde Coletiva – ISC/UFBA na coordenação do projeto Jovens Inovadores financiado pelo instituto Bill and Melinda Gates. Atuou (2017-2019) como pesquisador postdoc na coordenação da equipe de geoprocessamento do projeto “Otimização de Medidas de Controle para Zoonoses em Comunidades Brasileiras”, financiado pela Medical Research Concil (MRC), com base no Instituto de Saúde Coletiva ISC – UFBA. Doutorado (2017) e Mestrado (2014) em Ciência Animal nos Trópicos pela Universidade Federal da Bahia – UFBA., especialização em Qualidade e Processamento de Alimentos pela Universidade Federal de Lavras – UFLA (2008), graduação em Medicina Veterinária pela UFBA (2005), Graduando em Geografia pela UFBA (2016). Atuou como professor substituto da matéria Método de Pesquisa na Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia da UFBA (2014 – 2015). Atuou como Secretário Nacional de Georreferenciamento e Rastreabilidade da Confederação Brasileira de Apicultura – CBA (2006-2011), coordenando o Programa Nacional de Georreferenciamento Apícola (PNGEO) no território nacional. Exerceu o cargo de Extensionista Rural da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará- EMATER/PA (2006-2011),atuando como membro da equipe multidisciplinar em diagnósticos georreferenciados do Laboratório de Geotecnologias. Áreas de conhecimento: saúde única e geoprocessamento.

Escreva um comentário